A Prefeitura de Palmas anunciou que o projeto para controlar a população de capivaras em Palmas terá duração de dois anos e vai incluir a castração e monitoramento dos animas. Desde agosto está sendo realizado um levantamento para identificar os riscos que a grande quantidade de animais do tipo pode representar.

As equipes da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) vão trabalhar em parceria com uma universidade particular da capital. O acordo entre a presidente da fundação, Meire Carreira e a reitoria da universidade foi assinado na quarta-feira (11).

Depois do processo de castração os animais devem retornar ao habitat natural no dia seguinte. Eles serão acompanhados por técnicos e médicos veterinários que participarem das cirurgias. A prefeitura disse que vai cumprir todos os protocolos para evitar que o procedimento cause estresse aos animais.

Na capital, as capivaras se concentram principalmente no Parque Cesamar. A ideia é estabelecer limites para que não haja problemas com a superpopulação deste tipo de animal. O descontrole da população de capivaras pode causar riscos ambientais e facilitar a transmissão de doenças.

O conteúdo é do  G1 Tocantins.