O título acima com a interrogação,  fosse feito por uma professora em sala de aula, por um político ao seu eleitorado, estaria dentro de uma normalidade, mas quando é solicitado ao brasileiro que responda para uma emissora de TV, em um ano eleitoral é, no mínimo, para causar estranheza essa iniciativa daquela que detém a maior audiência entre as TVs abertas do país.

As manifestações nas redes sociais são de indignação contra essa proposta de pautar o brasileiro naquilo que ele busca de melhor para a sua cidade, estado ou país. Muitos apontaram para uma espécie de organização de um projeto ou plano de governo a ser elaborado em função das respostas recebidas, já que a emissora tem um colaborador que se insinuou como pré-candidato à presidência, dessa forma, para muitos, seria o pulo do gato da emissora em ter o mapeamento dos  5.570 ( IBGE) com suas demandas e necessidades de uma forma voluntária e sem custos.

Outros acreditam que a abordagem da proposta;  que pede que para  participar da iniciativa,  basta que o cidadão fique  diante de um dos lugares mais conhecidos de sua cidade, um lugar que o identifique de onde ele está falando, se identificando, claro, e com as gravações sempre   durante o dia,  estaria maquiando os verdadeiros problemas que afligem nossas cidades: insegurança, violência,  precariedade na área da saúde, da educação entre outros. A emissora sugere que os locais para as gravações sejam os mais bonitos da cidade.

Em termos de marketing para a empresa, essa proposta é fantástica. Pode servir para medir sua real audiência e nível de interação com o espectador e ao mesmo tempo ter um cadastro considerável de clientes ou eleitores identificados em seu banco de dados sem fazer muito esforço.