A Polícia Rodoviária Federal ainda não retomou a fiscalização por radares móveis nas rodovias federais que cortam o Tocantins. A assessoria da PRF no estado informou que a corporação possui apenas dois aparelhos do tipo e atualmente eles passam por testes. Os dois, segundo a PRF, estão passando por aferição do Inmetro.

Ainda de acordo com a PRF, quando estão em uso os equipamentos são usados em esquema de rodízio em todas as unidades operacionais para cobrir os pontos estratégicos do estado. A PRF informou ainda que a validade do aferimento dos equipamentos é determinada pelo Inmetro e que os policiais também podem solicitar o serviço caso percebam problemas no funcionamento dos radares.

Em todo o país, a fiscalização foi retomada na segunda-feira (23) após uma determinação do juiz Marcelo Gentil Monteiro, da 1ª Vara Federal Cível do Distrito Federal. Ele atendeu a um pedido do Ministério Público Federal (MPF), que questionou a portaria assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em agosto suspendendo o uso dos radares.

Nacionalmente, a PRF informou que voltou a a usar radares móveis e portáteis para fiscalizar cerca de 5 mil quilômetros de estradas. De acordo com nota divulgada pela corporação, no final da tarde, “todas as Superintendências da PRF possuem equipamentos disponíveis e estão orientadas a incluir a fiscalização de velocidade em seu planejamento operacional”. O documento não menciona o caso do Tocantins.