O primeiro-ministro anunciou o plano de abertura da economia e da sociedade para os próximos dois meses e defendeu o lockdown como medida necessária para evitar uma catástrofe.

De acordo com Johnson, a partir de 1º de junho, a primeira fase da reabertura irá permitir que lojas não essenciais abram e que as escolas voltem à atividade aos poucos.

A segunda etapa, que está prevista para julho, será de volta de atividades industriais e mais serviços públicos, mas ainda mantendo regras rígidas de distanciamento social.

“Nós temos um plano, mas é um plano condicionado”, disse Johnson. “Nos próximos dois meses, seremos guiados pela ciência e pela segurança da saúde pública”.

O país seguirá em nível 4 (de 5 níveis possíveis) de risco para o coronavírus. O medo é que a abertura permita uma segunda onda de contágio.

Mais detalhes serão divulgados na segunda-feira, pelo parlamento britânico.