A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Repressão a Crimes de Maior Potencial Contra a Administração Pública – DRACMA, deflagrou, na manhã desta sexta-feira, 03, a 2ª fase da Operação “Jogo Limpo”, que investiga um esquema criminosos de desvio de verbas públicas através da realização de convênios entre entidades do terceiro setor e a Fundação de Esportes e Lazer de Palmas (Fundesportes), bem como Secretaria de Governo e Relações Institucionais de Palmas ( SEGRI).

A operação conta com o apoio de 40 delegados de polícia civil e mais de 110 policiais civis oriundos de 9 delegacias regionais. Estão sendo cumpridos 31 mandados de busca e apreensão e 26 mandados de prisão temporária, contra Presidentes de Associações, empresários, servidores públicos e políticos suspeitos de envolvimento.

Entre os alvos está o presidente da Câmara de Palmas, vereador Folha, e os vereadores Rogério Freitas e Major Negreiros. Os policiais estão cumprindo mandados de busca e apreensão na casa dos parlamentares. Segundo informações preliminares, nem Folha, nem Major Negreiros foram encontrados. Além disso, a Polícia também está recolhendo documentos na Câmara Municipal.

As prisões e buscas foram realizadas nos Municípios de Palmas, Goiânia, Fortaleza do Tabocão e Aparecida do Rio Negro. Essencialmente, empresas fantasmas emitiam notas fiscais frias para justificar despesas e serviços não realizados na prestação de contas dos convênios, sendo que os valores recebidos eram desviados para servidores públicos, presidentes de entidades, empresários e agentes políticos.

A primeira fase da operação aconteceu em fevereiro quando a polícia cumpriu 57 mandados de prisão e busca apreensão em quatro cidades.