Investigações sobre a suposta ligação do ex-secretário de Administração Penitenciária Raphael Montenegro com o crime organizado dão conta de que ele negociaria a unificação das facções.

O novo grupo, nos moldes do PCC e mais forte, colocaria um freio nas disputas por pontos de vendas de drogas, resultaria numa suposta paz e renderia vantagens ilícitas e eleitorais. Montenegro nega as acusações.

Sem interferência

Enquanto isso, a nomeação do secretário de Polícia Militar, Luiz Henrique Pires, chama a atenção da cúpula do governo. A escolha não teria passado por indicação política, prática adotada por Cláudio Castro em outras pastas.