O presidente da República, Jair Bolsonaro, foi a um churrasco em Brasília em que havia uma aglomeração de pessoas, sendo que a maioria delas não usava máscara.

O ato contraria as recomendações das autoridades sanitárias de manter distanciamento social e usar máscara para tentar conter o contágio do novo coronavírus no país.

O almoço, ao ar livre, foi organizado por um grupo de gaúchos em um ponto do Eixo Rodoviário de Brasília, conhecido como Eixão. Aos domingos, a via fica fechada para o tráfego de carros e é usada como opção de lazer pelos moradores da cidade.

No churrasco, que celebrava o Dia do Gaúcho, Bolsonaro ficou pouco mais de uma hora e meia. Ele comeu, tirou fotos com apoiadores e brincou de perto com crianças.

Ele chegou a publicar uma foto em uma rede social em que aparece cercado de pessoas sem máscara, com a seguinte legenda: “Com a gauchada no Piquete do Eixão em Brasília”.

Apenas seguranças do presidente, profissionais da imprensa e os policiais militares que estavam no local usavam máscara.

A presença de Bolsonaro no churrasco não constava da sua agenda oficial. Segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, o evento era um compromisso pessoal.

Após o churrasco, o presidente parou rapidamente na Praça dos Três Poderes, onde conversou com alguns apoiadores, mas não ficou muito. Ele afirmou que estava indo embora após jornalistas começarem a dirigir perguntas a ele. “Como a imprensa começou a perguntar, eu estou indo embora”, disse.

Bolsonaro, então, voltou para o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.