Com a questão das vacinas e o combate à pandemia de coronavírus sem uma resposta eficiente por parte do governo, restará a Jair Bolsonaro dobrar a aposta na economia. Embora as expectativas sejam positivas em relação à recuperação ainda em 2021, as projeções da área política do governo são as de que os melhores resultados serão sentidos pela população em 2022, quando houver uma oferta maior de vacinas contra a covid-19 e remédios mais eficazes para combater a doença.

No Planalto, a sensação é a de que o presidente, ainda que tenha tropeçado no combate ao coronavírus, vai tentar se apresentar como aquele que venceu o desafio econômico. Nas lives, Bolsonaro tem dito, com razão, que a situação na economia seria pior se não fossem as ações governamentais. A partir dessa premissa, os bolsonaristas calculam que, se a recuperação vier com força, conforme aposta a equipe econômica, esse será o discurso da reeleição.