A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), foi hostilizada durante o voo 6077, da Avianca, de Brasília para São Paulo. Enquanto os passageiros se preparavam para descer da aeronave, um homem que se disse advogado dirigiu impropérios à senadora. Exaltado, acusou o PT de acabar com o país e xingou Gleisi. A senadora respondeu pedindo respeito.

Incomodados, outros passageiros intercederam, dando início a uma discussão acalorada. “Que o PT acabou com o país é verdade, mas não é o momento para isso, o brasileiro não tem educação”, comentou um passageiro. “Eu sou cidadão, advogado, pago meus impostos”, continuou o homem que acusava a senadora.

Na saída do avião, Gleisi pediu para falar com o comandante e apontou o responsável pelos insultos. “Eu acho que esse tipo de coisa não pode acontecer”, disse. Os funcionários acalmaram pedindo que
Gleisi é o advogado desembarcassem separadamente, em ônibus diferentes.

Gleisi foi a São Paulo cuidar de assuntos partidários e participar do velório de Marco Aurélio Garcia, ex-assessor internacional de Lula e de Dilma Rousseff no Planalto. Marco Aurélio morreu hoje, vítima de  infarto.