O Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet) informou ao T1 Notícias na terça-feira, 02, por meio de nota, que vai entrar com ação judicial contra o o Decreto nº 6.211/2021 do governo estadual, publicado no último dia 29 de janeiro, que autoriza retorno das aulas presenciais, sem a vacinação da comunidade escolar.

A retomada está prevista para a partir de 8 de fevereiro, para toda a Educação Básica e Superior, ofertadas pelas redes públicas ou particulares em todo o Estado.

O  sindicato reforçou que é contra o retorno das aulas sem segurança sanitária da comunidade escolar e defende que tem que ter vacina para os profissionais da educação e para os grupos de risco da comunidade escolar.

Durante a coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 1º, a secretária de Educação, Juventude e Esportes, Adriana Aguiar, disse que a decisão pelo retorno das aulas presenciais de forma gradativa dos alunos deverá ser autorizada por cada responsável. “Se os pais não se sentirem seguros, continuaremos ofertando a modalidade on-line”.

Sobre os protocolos de segurança, Adriana Aguiar explicou que “os espaços serão demarcados de modo que possam garantir o distanciamento; as aulas retornarão de forma gradativa, com escalonamento, recomendando-se que as turmas funcionem com 50% da sua capacidade; os pais terão a possibilidade de optar por aulas remotas e os profissionais do quadro de risco continuarão atuando de forma remota”, detalhou.

Assembleia regionais

O Sintet também informou que decidiu realizar assembleias regionais (doze) nos próximos dias para ouvir os profissionais da educação em todo o Estado. “Podendo inclusive deliberar uma greve, a categoria quem vai responder”, explicaram em nota.

O edital com a convocação e o calendário das assembleias deve ser divulgado ainda nesta terça, 02. O Sintet disse que a ação judicial já está sendo encaminhada pela assessoria jurídica.

Confira a nota na íntegra

O Sintet vai entrar com ação judicial contra o decreto do governo estadual que autoriza retorno das aulas sem a vacinação da comunidade escolar.

A diretoria do Sintet se reuniu na segunda-feira, 01, e deliberou por judicializar o decreto do governador Mauro Carlesse que pede o retorno das aulas presenciais sem oferecer a imunização dos profissionais da educação contra o coronavírus.

O Sindicato é contra o retorno das aulas sem segurança sanitária da comunidade escolar. “Tem que ter vacina para os profissionais da educação e para os grupos de risco da comunidade escolar”, defende a direção.

O Sindicato decidiu ainda que vai realizar assembleias regionais (doze) nos próximos dias para ouvir os profissionais da educação em todo o estado. Podendo inclusive deliber uma greve, a categoria quem vai responder.

O edital com a convocação e o calendário das assembleias deve ser divulgado ainda na terça, 02. A ação judicial já está sendo encaminhada pela assessoria jurídica.