O Tribunal do Júri de Arraias condenou Joaquim Raimundo de Moura Filho a 23 anos de prisão por matar seu tio, Francisco Santana de Moura, a golpes de machado no crânio e no tórax. O julgamento foi realizado nesta quarta-feira (27/10).

A vítima é um idoso de 62 anos, e o crime aconteceu na zona rural da cidade de Conceição do Tocantins, em janeiro de 2020. O motivo seria rancor, relacionado a herança e partilha de bens.

O CRIME

Conforme narrou o promotor de Justiça João Neumann Marinho da Nóbrega, o crime ocorreu mediante emboscada, tendo o criminoso se aproveitado do momento em que a vítima parou na estrada para abrir um colchete e investido contra ele.

Nesse momento, de surpresa e de forma traiçoeira, Joaquim desferiu golpes de machado que atingiram várias partes do corpo do idoso, incluindo o crânio e o tórax. Em seguida, levou o corpo para o meio do mato, com o fim de ocultá-lo.

A Promotoria de Justiça sustentou a tese de homicídio qualificado, por motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou defesa da vítima, bem como que a pena deveria ser aumentada em razão da vítima ser idosa, conforme termos do Código Penal.

Também foi sustentada a tese de crime de ocultação de cadáver. As alegações foram acatadas integralmente pelo Conselho de Sentença.

Diante da decisão do Conselho de Sentença, o juiz Márcio Ricardo Ferreira Machado fixou a pena em 23 anos e 4 meses de prisão, em regime inicial fechado, não podendo o réu recorrer em liberdade. Joaquim Raimundo de Moura Filho encontra-se preso na Cadeia Pública de Arraias.