A vacina Sputnik V tem alta eficácia de proteção contra a variante P.1 do coronavírus, identificada pela primeira vez em Manaus, no Amazonas. A informação é de um estudo realizado pelo Instituto de Virologia da Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina, e divulgado na 2ª feira (24.mai.2021).

De acordo com a pesquisa, o imunizante permite que a cepa brasileira seja neutralizada já na aplicação da 1ª dose do imunizante. O levantamnete levou em conta 800 amostras retiradas de 285 pessoas com mais de 20 anos de idade e menos de 65, em Córdoba.

Observou-se que 99,65% dos vacinados com a Sputnik V desenvolveram anticorpos no 42º dia depois da aplicação da 2ª dose da vacina.

Até a 2ª feira, a vacina russa foi registrada em 66 países com uma população total de mais de 3,2 bilhões de pessoas. Em comunicado a imprensa, o RDIF disse que a Sputnik V ocupa o 2º lugar entre as vacinas contra a covid-19 em todo o mundo em termos de número de aprovações emitidas por reguladores governamentais.