O Talibã formalizou na última segunda-feira (20) um pedido para discursar na 76ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, nos Estados Unidos. De acordo com o porta-voz do grupo, o objetivo é falar com os líderes mundiais presentes no evento como representantes do Afeganistão, país que governam há cerca de um mês.

Ainda segundo os talibãs, a carta foi enviada pelo ministro das Relações Exteriores do Afeganistão, Amir Khan Muttaqi, ao secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, reivindicando uma oportunidade de participar do evento, que começou nesta terça-feira (21).

Segundo agências internacionais de notícia, a solicitação dos talibãs não garante que eles participem desta edição da Assembleia Geral da ONU. É provável que os novos líderes do Afeganistão não consigam discursar em Nova York.

Além do pedido de participação na Assembleia Geral, os talibãs também notificaram a ONU sobre a mudança do represente do país junto à entidade, substituindo o atual, que havia sido escolhido pelo governo afegão deposto.

Nesta terça, discursaram na Assembleia Geral da ONU líderes de algumas das principais nações mundiais, como Joe Biden, presidente dos Estados Unidos. Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, foi o primeiro a subir ao púlpito, mantendo a tradição brasileira de abrir o evento.