Os 2 principais nomes do MDB em São Paulo, o ex-presidente Michel Temer e o presidente da sigla, deputado Baleia Rossi, se movimentaram para segurar o prefeito paulistano, Ricardo Nunes, no partido. Os 2 entraram em campo após uma articulação do PSDB municipal tentar levar o novo prefeito para a sigla.

Nunes assumiu depois da morte de Bruno Covas, vítima de um câncer. O receio dos tucanos era o fato de o partido ter apostado muitas das suas fichas nessa eleição e a prefeitura ter uma série de nomes históricos do partido, e aliados, nas secretarias. Fernando Alfredo, presidente municipal dos tucanos, procurou Nunes.

No entanto, de olho na campanha de 2022, o time do governador João Doria (PSDB) agiu para neutralizar o movimento. Ficou definido que Nunes fica no MDB, mas manterá o que os tucanos têm chamado de “testamento” de Covas. Ou seja: manter o secretariado e as metas que o prefeito definiu para a capital paulista.

O  presidente estadual do PSDB e aliado de Doria, Marco Vinholi, encontrou-se com Baleia Rossi. Na ocasião, o assunto foi debatido e dado como encerrado. E também ficou definido que o deputado estadual Itamar Borges (MDB) irá assumir, na 3ª feira (1º.jun.2021) a Secretaria de Agricultura do Estado.

“Tivemos um encontro. A relação está madura. Vamos seguir dialogando com eles como nossos parceiros prioritários”, disse Vinholi.

Os tucanos paulistas almejam uma chapa presidencial com Doria na cabeça e o apoio do MDB. O DEM estava nos cálculos anteriores, mas a filiação do vice-governador Rodrigo Garcia ao PSDB jogou água nos planos. Ao menos temporariamente. Ele deve sair candidato ao governo paulista.

OUTRAS ALAS

Não há consenso no PSDB quanto à candidatura de Doria. Na próxima 2ª feira (31.mai), a Executiva Nacional do partido irá se encontrar para definir as regras do processo interno.

Há 4 pré-candidatos no PSDB: João Doria, o governador gaúcho Eduardo Leite, o senador Tasso Jereissati (CE) e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

“As prévias serão uma demonstração ao país de democracia interna. E acho que irá dar mais destaque ao partido. Pensa no Obama. Ele chegou nas prévias bem menor do que saiu delas. E venceu as eleições”, comparou.