A consulta realizada pelo Governo do Estado foi realizada após apresentação do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), uma ação do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que visa contribuir para a melhoria da Educação Básica do Brasil, a partir da implantação do modelo MEC de Escolas Cívico-Militares (Ecim). Esse modelo é centrado na melhoria de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa.

No ano letivo de 2020, o Colégio Estadual Tiradentes contou com 373 alunos matriculados da 1ª a 2ª série do ensino médio, mas tem capacidade para receber mais de 500 estudantes.

A titular da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), Adriana Aguiar, explicou que a escola continua com seus currículos orientados pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), porém passa a contar com aportes financeiros para melhorias na estrutura e com a disciplina militar. “Esse trabalho conjunto é propício para alcançarmos bons resultados”, disse.

O chefe de Estado Maior da Polícia Militar do Tocantins, coronel Wesley Borges Costa, apontou como será o trabalho da PM na unidade de ensino. “O nosso trabalho aqui é para somar e agregar com o trabalho da Educação, pensando estratégias que fomentem nos estudantes o desejo de aprender. Temos a certeza de que a parceria é o caminho pelo qual nós podemos chegar ao sucesso”, explicou.

De acordo com o secretário-executivo da Seduc, Robson Vila Nova, a implantação da unidade de ensino é um marco no fortalecimento da educação. “A comunidade está sendo consultada nesse processo de construção conjunta, Seduc, Polícia Militar, Governo Federal, que trabalharão juntos para continuarmos desenvolvendo o processo de ensino e aprendizagem aqui em Formoso do Araguaia”, ressaltou.

Escolas Cívico-Militar do Tocantins

Em 2019, os Estados começaram a aderir ao Pecim e com a realização das consultas públicas à comunidade escolar das unidades de ensino para a implantação da fase piloto do Programa.

Em 2020, três unidades de ensino, do Tocantins, aderiram ao modelo de Escola Cívico-Militares proposto pelo MEC: Escola Estadual Maria dos Reis Alves Barros, de Palmas; Escola Estadual Hercília Carvalho da Silva, de Gurupi; e a Escola Estadual São José Operário, de Paraíso.

O programa é direcionado a unidades de ensino que contam com alunos em situação de vulnerabilidade social e com desempenho abaixo da média estadual no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Com a adesão ao programa, a unidade continua com seus currículos orientados pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), porém passa a contar com aportes financeiros para melhorias na estrutura e com a disciplina (norma de conduta) militar.

Comunidade

Para a dona de casa Aurilene Alves da Silva, a chegada da Escola-Cívico Militar em Formoso do Araguaia é a realização de um sonho. “Minha filha é muito dedicada, ela gosta de fazer as coisas certas e sempre quis estudar em um colégio militar. Tínhamos até pensado em levá-la para Gurupi, agora com uma escola perto de casa fica tudo mais fácil. Esse é um sonho da minha filha, estamos aqui para isso”, contou.

Cheia de orgulho, ela falou ainda de como ela acredita que a filha Francisca Helloisy da Silva Lima, 13 anos, poderá ser beneficiada com o modelo de ensino adotado pela escola. “É um modelo muito bom para a formação do aluno. É ensino que trabalha para além dos conteúdos dos livros, ajuda a pessoa a se portar de forma correta. Ela já é muito disciplinada e creio que vai somar muito no crescimento pessoal dela”, ressaltou.

A diretora da unidade de ensino, Marina Emanuelle Barbosa Coimbra, destacou a importância da adesão ao Pecim. “A maior importância é melhorar a disciplina dos alunos. Nós somos uma escola com um público vulnerável, e as estratégias dos militares aliadas à metodologia do estado refletirão diretamente nos índices de aprendizagem”, ressaltou.

Presenças

A solenidade de consulta contou com a presença de lideranças locais, como o prefeito de Formoso do Araguaia, Heno Rodrigues da Silva; de Gurupi, Josi Nunes; de Dueré, Valdeni Pereira de Carvalho; da diretora Regional de Educação de Gurupi, Cláudia Moreira; vereadores; professores, pais de alunos e comunidade em geral.

Agenda

Ao longo do dia, a titular da Seduc, Adriana Aguiar, realizou visitas a unidades de ensino para acompanhar o retorno gradativo das atividades presenciais no Colégio Estadual Benedito Pereira Bandeira, na Escola Estadual Gercina Borges, na Escola Especial Anjo da Guarda – Apae de Formoso do Araguaia e no Polo de Apoio às Escolas Indígenas de Formoso, que funciona no Museu dos Povos Indígenas da Ilha do Bananal – Javaé e Karajá.

Todas as unidades de ensino e o polo de apoio receberam outros equipamentos de Proteção Individual e material de comunicação visual de orientação e demarcação dos espaços.