A necessidade de isolamento social para conter a disseminação de coronavírus fez com que muitas pessoas passassem a trabalhar de casa. O problema é que como a mudança foi feita às pressas, poucas pessoas tiveram tempo de se adaptar. Enquanto teve gente que correu para comprar uma escrivaninha ou cadeira nova, muitas pessoas ainda estão trabalhando do sofá ou da mesa da sala de jantar por medo de não saberem o que comprar ou de gastarem muito.

Por isso, o ValorInveste.com conversou com especialistas para apontar as principais dicas na hora de montar um espaço para trabalhar de casa. O principal, segundo os entrevistados, é criar um ambiente confortável e organizado.

Principal item

O item que deve ser priorizado é a cadeira. Se antes do “home office” a maioria das pessoas optava por uma cadeira mais barata ou até mais bonita, o conforto agora deve ser a lei, tendo em que vista que você deve passar cerca de oito horas do seu dia sentado nela.

“A cadeira não costuma ser um item barato, mas existem muitas opções no mercado. A pessoa não precisa comprar a mais cara, mas é fundamental que seja uma cadeira confortável, que se adapte bem às suas medidas”, afirma Fernanda Morais, uma das sócias do escritório Très Arquitetura.

Segundo Gabriel Miceli, diretor executivo comercial da Tok&Stok, no começo da quarentena poucas pessoas se atentaram à necessidade de comprar uma boa cadeira. Agora, no entanto, a história mudou e o item é um dos mais procurados. “Depois de dois, três meses de home office, muita gente começou a sentir dores na coluna, nas costas, nas pernas e viu que é importante ter uma boa cadeira”, diz.

Com a escrivaninha, por outro lado, o profissional pode poupar um pouco mais, mas deve se atentar às medidas do móvel. “Eu não diminuiria tanto meu gasto com isso, mas ela é menos importante que a cadeira. Só é importante lembrar que uma mesa precisa estar na altura certa e também nas dimensões certas. Se você trabalha muito com papel, escreve muito, é preciso ter espaço para isso”, afirma Marcelo Marques, um dos fundadores da Mobly.

Iluminação

Segundo os especialistas, também é fundamental que os profissionais invistam em iluminação. Caso o espaço para montar o home office não seja bem iluminado, vale investir em luminárias de mesa.

“No ambiente de trabalho a gente tem uma luz feita para isso. Em casa, não. Costuma ser uma luz mais fraquinha, mais aconchegante, num tom mais amarelado. Então, é sempre bom incluir uma luminária no espaço em que a pessoa está trabalhando”, afirma Morais, da Trés.

Baratinhos e fundamentais

Segundo os especialistas, também é muito importante manter o ambiente em que se trabalha organizado. “Uma coisa muito relevante, que ajuda no bem-estar e até na produtividade é manter aquele ambiente organizado e usar alguns itens para isso”, afirma Miceli, da Tok&Stok. Para ele, não é preciso investir em estantes ou armários caso o profissional não tenha dinheiro ou espaço para isso, apenas alguns itens como caixas e porta-trecos já podem ser suficientes.

“Digo isso tanto por experiência própria como com alguns amigos que venho conversando. As caixas organizadoras, porta-papel, porta-lápis ajudam muito. E tem a história de que com a teleconferência, todo mundo está vendo sua xícara, sua garrafinha. Então pode ser legal ter coisas separadas pra usar nesse seu ‘ambiente de trabalho’, para criar essa atmosfera de escritório”, diz.

A internet ajuda

Segundo os especialistas, a ajuda de um arquiteto é sempre bem-vinda, mas nem sempre cabe no bolso daquele profissional. Por isso, uma das dicas é buscar inspirações em sites e redes sociais.

“A internet foi maravilhosa nesse período, se você coloca no Google frases do tipo ‘como instalar bons espaços de home office?’, ‘inspiração de home office’, você já tem ajuda. A parte de inspiração está muito forte na rede”, afirma Marques, da Mobly.

Ele também destaca que caso aquele trabalhador não tenha condições de contratar um arquiteto único, ele pode entrar em sites que tenham pequenos projetos de arquitetura. “Há empresas com preços democráticos, em que você paga um valor menos, mas tem um projeto mais rápido e customizado”, afirma.