A Volkswagen do Brasil pagará R$ 36,3 milhões a ex-trabalhadores da empresa presos, perseguidos ou torturados durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985) e a iniciativas de promoção de direitos humanos e difusos.

A disponibilização dos recursos foi anunciada nesta quarta-feira em nota pública conjunta divulgada pelos Ministérios Públicos Federal, do Estado de São Paulo e do Trabalho, que firmaram com a Volkswagen um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Trata-se de um acordo extrajudicial que estabelece obrigações à empresa para que não sejam propostas ações judiciais sobre a cumplicidade da companhia com o aparato de repressão e violência imposto ao longo de duas décadas pela ditadura militar.